4 motivos que levam os consumidores às lojas físicas e virtuais

No meu último artigo falei sobre o hábito de realizar compras na internet, e destaquei que mais da metade dos gaúchos, maiores de 18 anos, já realizaram compras via web diretamente ou pedindo ajuda para alguém. Observou-se que há uma divisão etária, sendo que quem mais realiza compras pela internet são os mais jovens.

E quando se pensa em comprar, a pergunta seguinte diz respeito à preferência por loja física ou virtual. Pesquisa realizada pelo IPO – Instituto Pesquisas de Opinião verificou que 69,4% dos gaúchos preferem comprar em loja física e 15,2% nas lojas virtuais. Baseado nisso, vou explorar nesse artigo quais são as principais motivações do consumidor que prefere a loja digital e do que prefere a loja física. São duas realidades que proporcionam experiências distintas ao consumidor.

Os 4 motivos que levam o consumidor à loja física

O consumidor da loja física possui faixa etária maior, a partir dos 35 anos de idade. Conforme aumenta a idade, aumenta a preferência por lojas físicas. São pessoas que tiveram suas primeiras experiências, enquanto consumidores, em lojas físicas, o que formou uma memória gerando confiança. Há 4 fortes argumentos que motivam os gaúchos a comprar nas lojas físicas:

1- O primeiro motivo está diretamente ligado a dois dos nossos sentidos: tato e olfato, no caso de perfumes. A não ser que o consumidor já tenha conhecimento do cheiro, a venda de perfume em loja física tende a ser mais comum.  Esses dois “poderes” só são possíveis na experiência de compra em loja física.

2 – A segurança envolve o imaginário do consumidor e tem duas principais vertentes. A primeira associada a comprar o real, sem edição de foto, de anúncio. Na compra em loja física o consumidor confia porque ele mesmo está olhando o produto. Outro aspecto que envolve a segurança é o pagamento com dinheiro, carnê da loja ou até com cartão. O consumidor que compra em loja física tem a percepção de que há menos riscos de seu cartão ser clonado e utilizado em outras compras.

3 – Pronta-entrega do produto, pois nem sempre, quando precisamos de algo, temos tempo para esperar sua entrega. Ir até a loja, escolher o produto, experimentar e poder levar para casa, resolve a demanda do consumidor.

4 – O atendimento gera relacionamento. E na loja física ele é feito face to face. Há construção de um diálogo com o vendedor gerando confiança, empatia, troca de experiência. Além disso, o vendedor tem o know how do produto, tira dúvidas, fornece dica e sugestões.

Os 4 motivos que levam o consumidor à loja virtual

Já sabemos que a preferência por comprar em loja virtual é mais comum dentre os mais jovens, destaque para os que possuem entre 25 a 34 anos de idade. São esses consumidores que também possuem uma relação maior com a internet e as redes sociais.

Pois bem, vamos às motivações:

1 – O preço é considerado menor na loja virtual em comparação com a física. Isso porque a internet facilita a relação entre preço X pesquisa de preço. Sem contar os sites de busca e os aplicativos que comparam automaticamente os produtos de interesse.

2 – A praticidade da compra na internet está associada à rapidez e conforto. Imagine que, sentado na sala da sua casa – e você provavelmente já fez isso várias vezes – você entra e sai de lojas virtuais em apenas um clique. Nesse tempo você só precisou clicar, sem suar, sem estacionar carro, sem esperar em fila, sem se frustrar com um mau atendimento ou “pressão” de vendedores.

3 – A segurança também aparece como motivação na compra virtual. Mas sua conotação é distinta, pois aqui o consumidor a associa à segurança física: evitar assaltos, violências que podem ocorrer ao sair para realizar a compra em loja física.

4 – Sem barreiras geográficas, possibilitando o consumidor visitar lojas do mundo inteiro para comprar. Seu acesso não está atrelado ao espaço geográfico em que se encontra. Com apenas um clique efetua-se uma compra em qualquer parte do país e do mundo.

Por fim, percebe-se que há mercado para os dois tipos de lojas, a física e virtual. Na loja física a experiência é real, há elementos simbólicos que formam a jornada de compra. Essa jornada é a possibilidade de sentir, tocar o produto, ver outros produtos que “casem” com o que a pessoa está procurando, ter o atendimento presencial e até ser uma atividade de lazer para muitas pessoas. Na loja virtual há maior dinamismo, é um autoatendimento. O consumidor está no controle da busca com conforto, comodidade.

 

Débora Mello. Analista de pesquisa. Dedicada à epistemologia das ciências sociais, atua com afinco na análise de pesquisas qualitativas. Experiente em categorização e em análise de conteúdo, atuou na análise de projetos para: Grupo RBS, Rodoil, UCS, Eletrobras, Celulose Riograndense, entre outros.

No Comments

Post A Comment

© 2016 IPO - Todos os direitos reservados