Como você gosta de ir ao shopping: sozinho ou acompanhado?

Quando pensamos em mix de lojas, serviços, lazer, estacionamento e segurança tudo no mesmo lugar estamos falando de shoppings centers. Você pode não ter parado para refletir, mas uma simples ida ao shopping traça um comportamento social. A motivação pode ser uma compra, um passeio, uma ida ao cinema com a família ou até mesmo os exercícios rotineiros em uma academia.

Você já parou para pensar como você gosta de ir ao shopping? Prefere ir sozinho ou com a família e/ou amigos?

Estudos realizados pelo IPO – Instituto Pesquisas de Opinião revelam que a maior parte dos consumidores do Sul do Brasil, em média 70%, preferem ir ao shopping acompanhados, comportamento similar ao do Brasil, com 60,0%*. Destacam-se nesse perfil mulheres com faixa etária de até 34 anos de idade e se dividem entre dois grupos de preferência: um que gosta de ir para passear e outro para realizar compras.

Estes 70% que costumam ir acompanhados, se dividem em três subgrupos:

– Os que preferem ir com os cônjuges/companheiros: é o maior grupo destaque para as faixas etárias de 18 a 24 anos, 50,0% e 35 a 44 anos de idade, 51,0%. E gastam em média R$ 220,00.

– Os que vão com o núcleo familiar (pais e filhos) destacam-se os que possuem acima de 35 anos de idade, 44,9%. Conforme aumenta a faixa etária aumenta o hábito de ir ao shopping com o núcleo familiar. E estes gastam em média R$ 275,00.

– Os que vão com os amigos são os mais jovens, principalmente de até 24 anos de idade, 32,1%, seguidos dos que possuem de 25 a 34 anos de idade, 27,3%. E tem um gasto médio de R$ 200,00.

Quem vai acompanhado no shopping fica mais tempo e tende a gastar mais.

 

Tanto quem vai acompanhado como quem vai sozinho ao shopping se autodeclara consumidor racional (42,7% e 48,8% respectivamente), ou seja, “procura planejar a compra e avalia custo X benefício de uma compra, sempre que possível”.

O shopping se tornou um local de convívio social, redesenhando o conceito de relacionamento social e sentimento de comunidade. O shopping concentra muitas pessoas com diferentes perfis e histórias e faz com que as relações sociais se processem no entorno de relações comerciais.

 

*Perfil do Frequentador de Shopping Center, 2014. Disponível em: https://www.abrasce.com.br. Acesso em: 30 jun. 2018.

Débora Mello. Analista de pesquisa. Dedicada à epistemologia das ciências sociais, atua com afinco na análise de pesquisas qualitativas. Experiente em categorização e em análise de conteúdo, atuou na análise de projetos para: Grupo RBS, Rodoil, UCS, Eletrobras, Celulose Riograndense, entre outros.

No Comments

Post A Comment

© 2016 IPO - Todos os direitos reservados