O consumidor está de volta à loja física

Mesmo com a abertura da “temporada” eleitoral, o eleitor está mais interessado em responder as pesquisas de mercado, como consumidor, do que as pesquisas eleitorais, em que precisa falar como eleitor.

Como consumidor, quer falar de normalidade, de gente na rua, de aglomeração, de encontros, feiras e festas com familiares e amigos. Se conectam, pela esperança da retomada econômica, ao sonho do empreendedorismo ou daquela tão sonhada vaga de emprego.

Depois de quase dois anos realizando compras remotas ou no “pague e leve”, querem usufruir da liberdade de uma experiência de compra tradicional, com direito a pechincha, lanche em família e até mesmo aquele cineminha no meio das compras.

Estão a fim de ir à loja física, de ver as vitrines, de olhar os lançamentos, de passear no comércio de rua ou no shopping. E falando em shopping, cada consumidor demonstra um tipo de relacionamento com o shopping, preponderando o perfil do “visitador”, aquele que quer mais passear do que ir às compras.

Uma série de pesquisas realizadas pelo IPO – Instituto Pesquisas de Opinião identificou que há, no mínimo, cinco tipos de consumidores, especialmente quando se trata da ida ao shopping:

1) O que gosta de comprar no shopping – O consumidor assíduo de shopping, daquele tipo que sempre que dá vai ao shopping para fazer compras. Quando pensa em um presente ou precisa comprar algo, sempre procura o shopping. “Ele enxerga o shopping por vários olhares”, sabe até os tipos de loja e serviços disponíveis. É o consumidor fiel ao shopping, gosta de uma promoção e atua como um promotor, convidando amigos e familiares.

2) O que gosta de passear no shopping – É o tipo de consumidor que utiliza o shopping para lazer, para passear com a família. Sempre que dá vai almoçar, lanchar e/ou ir ao cinema e, às vezes, faz compras. Se alguém pensa em um passeio ou em uma refeição fora de casa, este consumidor lembra do shopping.

3) O que vai ao shopping quando tem uma demanda – É o tipo de consumidor pragmático, que utiliza o shopping apenas quando tem uma necessidade, serviço ou produto que só tem no shopping. Este consumidor entra no shopping de forma rápida, quer ser atendido e sair do shopping. Para esses consumidores, não adianta o vendedor ter a intenção de “mostrar a prateleira toda”: pedido objetivo, deve ter um atendimento objetivo.

4) O que não gosta de shopping – É do tipo que só vai ao shopping por ter que acompanhar alguém (levar um familiar ou amigo). Este consumidor não gosta de shopping, não gosta de ficar dando voltas e, muito menos, do tal de ‘rolê’. Neste grupo se destacam os homens. Consideram que o shopping tem muito barulho, muita gente e, em alguns casos, preços fora da realidade.

5) O esporádico – É composto pelo cliente que vai ao shopping de vez em quando/raramente ou que está conhecendo pela primeira vez. Não se lembra de ir ao shopping, gosta de manter suas práticas de compra, seus hábitos. No consumo esporádico também há o debate do poder aquisitivo. Famílias com uma renda mais limitada, procuram soluções com custo otimizado. Se de um lado há vários tipos de comportamento, de outro lado, cada consumidor é único e espera ter uma experiência de compra positiva, sendo mais entendido do que atendido.

No Comments

Post A Comment