Os dilemas dos professores da rede pública de ensino

A profissão de professor é uma das mais importantes, tendo em vista que, outras profissões, em sua maioria, dependem dele para sua formação como profissional.

Algumas décadas atrás o espaço de ensino funcionava de uma maneira bem diferente, os alunos obedeciam as regras, tinham poucas alternativas de argumentação e, os que tentassem exceder na conversa, eram retirados da sala.

As pesquisas realizadas pelo IPO – Instituto Pesquisas de Opinião na última década, demonstram uma mudança de paradigma no que se refere a percepção dos professores das escolas públicas estaduais em relação as condições de trabalho. O principal problema dos professores hoje é a saúde física e psicológica, sendo que, há uma década atrás, se destacavam a baixa remuneração e da relação com a chefia.

Em pesquisa recente, realizada pelo IPO, com categorias de professores estaduais utilizou-se o seguinte questionamento: Em sua opinião, quais são os principais dilemas/ problemas causados aos trabalhadores em educação (professores/as e funcionários/as)? Desta questão resultaram as seguintes categorias analíticas:

Os problemas emocionais/ psicológicos derivados da pressão do cotidiano são causados pelo alto nível de stress, prejudicando a qualidade de vida ao ponto de ocasionar problemas físicos. Toda vez que vivemos uma situação estressante, o organismo faz um grande esforço para tentar voltar ao equilíbrio, mas junto com o esforço intercorre uma série de reações no corpo inteiro abrangendo o físico e o psicológico o que interfere nas relações sociais.

A saúde física compreende as condições do corpo em relação a doenças e ao físico, ou seja, para uma pessoa ser considerada saudável, ela não deve ter doenças e deve ter um bom funcionamento do metabolismo. Alguns fatores que influenciam na saúde física são uma infância saudável e boas condições de trabalho.

A saúde emocional está relacionada a capacidade das pessoas em lidar e controlar suas emoções resultando na sensação de bem-estar, que pode ser descrito como qualidade de vida emocional e cognitiva de uma pessoa.

A pesquisa indica que 36,7% dos professores entrevistados mencionam que os principais problemas causados aos trabalhadores em educação são os problemas de saúde (físicos e emocionais). Estes, podem ser explicados pelo fenômeno psíquico chamado “transferência”, presente em todos os âmbitos das relações. A relação professor X aluno está diretamente relacionada à transferência que se dá através da relação empática com seus alunos, sua capacidade de ouvir, refletir e discutir o nível de compreensão dos alunos e da criação de meios entre o seu conhecimento e o deles.

Neste contexto  de transferência a indisciplina do aluno interfere na relação em sala de aula, na relação de empatia entre ambos, acentuando problemas cotidianos que vão desde stress, agressões verbais até conflitos físicos.

Mas, qual é o principal motivo da indisciplina do aluno?

Hoje o aluno tem mais dificuldade de prestar atenção, executa mais atividades simultâneas, conversa e distrai-se mais, estão sem entusiasmo no mundo real, pois está cercado de informações, influenciado pelo fenômeno multitela – que está mudando a forma de consumir conteúdo.

Se de um lado a falta de entusiasmo dos alunos com a pedagogia tradicional provoca a indisciplina, de outro, o professor, desmotivado, com as condições de trabalho, não está preparado para enfrentar situações de ampliação da indisciplina. A sala de aula é um local de desenvolvimento, de aprendizagem e é através da interação entre professor e aluno que se desenvolve um relacionamento que, dependendo do nível de qualidade, pode ser  decisivo para o processo participativo e motivacional do aluno. Mas para o professor motivar uma turma ele também precisa estar motivado pois lhe cabe a função de estimular a curiosidade do seu aluno, respeitando a singularidade de cada um e facilitando a superação das dificuldades.

Existe um novo contexto dentro da sala de aula, onde cada vez mais a tecnologia torna-se presente em todos os ambientes, modificando a forma como aprendemos. As mudanças na tecnologia também modificam as novas gerações, uma nova lógica que exige uma nova postura por parte dos professores.

Uma das formas de melhorar o relacionamento entre professor e aluno é criar um ambiente envolvendo alunos, pais, e professores nos assuntos da escola e relacionando os mesmos com as novas tecnologias. Os professores devem entender a sua relação com o aluno, trabalhar o vínculo para diminuir os medos e as ansiedades destes através da transferência e da criação de políticas de apoio as escolas.

O caminho é o professor avançar no conhecimento da sociedade e de si mesmo no processo pedagógico para lidar com as manifestações transferenciais na sala de aula, criando e compartilhando momentos de crescimento interacionistas.

 

*SEGAL,Hanna. Melanie Klein: Amor, Culpa e Reparação. Editora Imago. Rio de Janeiro. 1996.

 

 

 

 

 

No Comments

Post A Comment