Hábitos de consumo do estilo de vida saudável

Há uma mudança de estilo de vida em curso que está modificando alguns dos parâmetros que temos como referência. Cresce o número de pessoas que estão revendo a forma de alimentação, as atividades físicas e se informando sobre produtos.

Esse debate está associado à influência da quantidade de informação de que temos acesso e ganha força com a experiência de consumo. As pessoas estão mais criteriosas e com maior auto percepção do próprio estado de saúde, o que exige um entendimento e reposicionamento das marcas.

A busca por um estilo de vida saudável é a causada por vários fatores desde a pressão social e cultural, que nos dita padrões de beleza, mas também por fatores clínicos, que podem causar hipertensão, diabetes, obesidade, entre outras doenças. Independente da causa, os adeptos de um estilo de vida saudável buscam maior qualidade e longevidade de vida.

Pesquisa realizada pelo IPO – Instituto Pesquisas de Opinião revelou que quem procura alimentos saudáveis para sua dieta são pessoas que buscam um estilo de vida saudável ou pessoas que têm algum tipo de restrição alimentar, como os intolerantes à lactose, a restrição à proteína animal, etc.  Os principais aprendizados desse estudo foram:

  • São pessoas com maior escolaridade e renda familiar;
  • A variedade de produtos e diferentes formas de uso na linha saudável aguça a curiosidade para a experimentação;
  • O sabor dos alimentos é um dos fatores de decisão na hora da compra;
  • Atentam para os nutrientes que compõem os alimentos, buscando os que são mais completos;
  • Preferem os alimentos que auxiliem na digestão, que sejam leves e não gerem desconforto;
  • Buscam produtos saudáveis por indicação médica, pelo boca a boca dos amigos/conhecidos ou quando estes chamam a atenção nas gôndolas dos supermercados;

A prática desses hábitos pode influenciar nos demais membros da família, criando novos paradigmas, configurando novos estilos de consumo familiar.

Pensando em alimentos in natura, de acordo com os dados do IBGE de 2008-2009, o brasileiro já tinha um consumo alimentar médio per capita(g/dia) de:

  • 24,6 gramas de verduras, por dia. Dentre esses, o mais comum é o consumo de salada crua, que corresponde a 14,8 (g/dia), couve 3,8 (g/dia), alface 3,6 (g/dia), entre outros.
  • 15,7 gramas de legumes, por dia. Nesse grupo destacam-se o tomate 6,5 (g/dia) e a abóbora 2,3 (g/dia). Outros com menor quantidade de consumo diário também foram mensurados como cenoura 0,9 (g/dia), chuchu 0,8 (g/dia) e pepino, 0,6 (g/dia).
  • 85,9 gramas de frutas por dia. As que se destacam no consumo dos brasileiros são: laranja 20,6 (g/dia), banana (g/dia), maçã 11,6 (g/dia), mamão 6,4 (g/dia), entre outras.

É um processo cíclico. Optar por um estilo de vida saudável exige uma mudança de hábitos, o mercado percebendo isso investe em produtos voltados a esse público. Há um curto espaço de tempo não existiam tantas opções em supermercados, hoje eles estão ocupando corredores inteiros e possuem maior evidência aos olhos do consumidor.

Débora Mello. Analista de pesquisa. Dedicada à epistemologia das ciências sociais, atua com afinco na análise de pesquisas qualitativas. Experiente em categorização e em análise de conteúdo, atuou na análise de projetos para: Grupo RBS, Rodoil, UCS, Eletrobras, Celulose Riograndense, entre outros.

No Comments

Post A Comment

© 2016 IPO - Todos os direitos reservados